Dia Nacional da Paralisia Cerebral celebra-se em Coimbra: um abraço sob o mote ‘Contigo sou +’

Dia Nacioal Paralisia CerebralO Dia Nacional da Paralisia Cerebral assinala-se já no dia 20 de outubro, uma data que pretende ser de celebração, mas também uma oportunidade para relembrar a compreensão e respeito que são devidos às mais de 17 mil pessoas com paralisia cerebral em Portugal.

As comemorações serão este ano organizadas pela APCC, que propõe um programa com diversas atividades – todas de entrada gratuita – unificadas em torno do mote ‘Contigo sou +’ e que tomará a forma de um forte abraço (também literal). O objetivo é, por isso, envolver pessoas com paralisia cerebral, profissionais, famílias e amigos, mas também toda a comunidade.

O momento alto será o concerto do Dia Nacional da Paralisia Cerebral (às 19H00, no Auditório do ISEC), com a pop de Rita Redshoes, o jazz do Combo do Conservatório de Música de Coimbra e o fado de Coimbra do grupo Praxis Nova, mas estão previstas também ações em escolas (como largadas de balões e um momento em que os abraços entre alunos simbolizarão um abraço às pessoas com paralisia cerebral), uma arruada na cidade de Coimbra com o grupo de bombos da APCC ou um convite à população para dançar (com a Fun Dance, junto ao Teatrão).

De destacar ainda a apresentação de dois livros com particular importância para a comunidade que lida com a paralisia cerebral: a nutricionista Maria Antónia Campos apresenta uma obra sobre uma técnica que permite a administração de comida, líquidos e medicação em doentes que não conseguem deglutir; e Rita Bulhosa passa da sua famosa página no Facebook para o papel a visão de uma jovem para quem o diagnóstico de paralisia cerebral é só mais um pormenor.

A responsabilidade de organizar as comemorações oficiais do Dia Nacional da Paralisia Cerebral foi entregue à APCC no ano em que celebra o seu quadragésimo aniversário. É, por isso, também o reconhecimento do trabalho realizado até agora, numa história que começou pela reabilitação de crianças com paralisia cerebral e doenças neurológicas afins, mas que não ficou por aí. Em quatro décadas, além de aprofundar a área da reabilitação, a APCC foi também desenvolvendo respostas nos campos da formação, da integração, da resposta às famílias ou dos serviços à comunidade.

O Dia Nacional da Paralisia Cerebral foi instituído pela Assembleia da República em 2014, tendo as primeiras comemorações sob este estatuto decorrido nesse mesmo ano, na cidade do Porto. Além da simbologia inerente a este tipo de oficialização, pretende-se que seja uma forma de dar maior relevância e visibilidade às pessoas com paralisia cerebral, sensibilizando a sociedade civil para a importância do respeito e da inclusão e para a defesa da efetiva realização dos seus direitos.

 

PROGRAMA COMPLETO

10H00 – Um abraço às pessoas com paralisia cerebral / Escolas de Coimbra
– Largada de balões / Escolas de Coimbra

11H00 – Arruada com os Semp’a Bombar (grupo de bombos da APCC) / Praça da República

14H00 – Lançamento de “Guia para a Gastrostomia Endoscópica Percutânea: o Caso da Paralisia Cerebral”, de Maria Antónia Campos / Centro de Reabilitação de Paralisia Cerebral

15H30 – Fun Dance (dança de rua) / Junto ao Teatrão

16H30 – Apresentação de “Aos Olhos da Rita”, de Rita Bulhosa / Centro de Reabilitação de Paralisia Cerebral

19H00 – Concerto do Dia Nacional da Paralisia Cerebral, com Rita Redshoes, o Combo de Jazz do Conservatório de Música de Coimbra e o Grupo de Fados Praxis Nova / Auditório do ISEC

Dia Nacional Paralisia Cerebral