APCC convida para “Isto não é uma exposição”, um encontro entre a terapia ocupacional e a arte

Se isto não é uma exposição, o que é? É um encontro entre a terapia ocupacional e a arte. É uma visita a um mundo que não é como costuma. É um convite ao público para ter limites de faz de conta. “Isto não é uma exposição” consiste numa visita guiada que termina num Experimentário, que decorrerá no Welcome Center e na Loja 3 do Convento São Francisco, nos dias 8, 11, 12 e 13 de dezembro.

Trata-se de uma iniciativa da APCC, em que colaboradores e utentes da instituição levarão os visitantes numa viagem por objetos comuns, pelas suas adaptações em contextos de terapia e por situações dramatizadas em que a imaginação ultrapassa a realidade.

Dividido por diferentes ‘estações’, “Isto não é uma exposição” permitirá experimentar jogos surpreendentes, assistir a um mini-espetáculo ou ser coreógrafo por instantes, mas também entender melhor o papel de um terapeuta ocupacional ou o quotidiano de uma pessoa com deficiência.

O ponto de partida é uma pergunta: E se por instantes os nossos talheres fossem colocados numa galeria de arte, a mesa que usamos todos os dias revelasse segredos, os nossos movimentos se transformassem em dança ou fôssemos para lá do conhecido? O ponto de chegada será um conjunto de descobertas e reflexões sobre como superar obstáculos ou o que representa ser autónomo.

A entrada é livre, mas as visitas guiadas são sujeitas a inscrição, através do 239 802 820 ou do 919 219 729. Os horários das mesmas são os seguintes: 14H00, 15H30 e 17H00 (no dia 8) e 10H30, 14H00 e 15H30 (nos restantes dias). Para o Experimentário não precisa de inscrever-se e pode visitá-lo das 14H00 às 19H30 no dia 8 e das 10H30 às 17H00 nos restantes dias.

“Isto não é uma exposição” foi criado e desenvolvido pelas professoras de teatro Adriana Campos e Mariana Nunes e pelas terapeutas ocupacionais Andreia Almeida, Diana Machado, Paula Reis e Sofia Teixeira. A interpretação é de Alexandra Oliveira, Anabela Stock, Andreia Matos, António Camacho, Bárbara Gomes, Bruno Amado, Bruno Ferreira, Carlos Abreu, Cristina Peça, Diana Godinho, Fernando Oliveira, João Cação, Joana Mateus, Liliana Ferreira, Liliana Neto, Marta Santos, Micaela Pires, Nino Conceição, Paulo Jesus, Paulo Pinheiro, Raquel Miranda, Ricardo Monteiro, Sónia Silva, Tânia Cores e Vasco Sequeira. Conta ainda com a colaboração das voluntárias europeias Anna Vukadin, Anthea Biçakçioglu, Federica Usai e Maria Cristina Marcosano.

Integra o projeto da APCC “E se o mundo não for como costuma…”, financiado pelo Instituto Nacional de Reabilitação, através do Programa Nacional de Financiamento a Projetos 2017.

A terapia ocupacional e o desenvolvimento de atividades ligadas ao campo artístico são duas das respostas sociais da APCC enquanto instituição que fomenta a inclusão. No primeiro caso, é realizada uma intervenção ao nível da avaliação, diagnóstico e tratamento de pessoas com disfunções físicas, percetivo-motoras, sensoriais e outras, enquanto que no segundo se promove a participação dos utentes em ações nas áreas da expressão plástica, expressão musical e expressão dramática, tanto dentro como fora da Associação.