APCC promove encontro e debate com parceiros de Bélgica e França para desafiar as representações sociais sobre a deficiência

Se uma visão assistencialista e focada na desvantagem e incapacidade ainda persiste socialmente em matérias relacionadas com a deficiência, o que pode ser feito – nomeadamente, pelas instituições e profissionais que operam na área – para alterar essa situação? É isso que vai estar em cima da mesa num encontro promovido pela APCC e que reunirá profissionais, pessoas com deficiência e responsáveis políticos de Portugal, Bélgica e França.

Desde ontem e até ao final desta semana, representantes da Nos Pilifs (Bruxelas) e do Collectif T’cap (Nantes) estarão em Coimbra para promover o intercâmbio e a partilha de experiências e vivências conjuntas. Ao longo destes dias, irão ficar a conhecer diversas atividades regulares da APCC, envolvendo as áreas de expressões, desporto, voluntariado, psicologia e Oficina do Brinquedo.

No último dia (16 de março), terá lugar um debate com o tema “Alterar a representação sobre a pessoa com deficiência por uma cidadania mais ativa – que inclusão?”, com a participação de diversos atores da sociedade, no qual serão abordadas estratégias para alterar as consciências de todos e a imagem social da pessoa com deficiência, no âmbito das legislações existentes e suas práticas, tanto em termos nacionais como europeus. Será no Museu Nacional de Machado de Castro, a partir das 10H00.

Este encontro internacional será o primeiro de três – um em cada país parceiro – realizados no âmbito do projeto europeu “Change ton Regard – Changer les représentations sur le handicap pour une citoyenneté plus active”, que reúne as três instituições anteriormente identificadas em torno do objetivo de contribuir para alterar as representações sociais sobre a deficiência.

Para o efeito, a questão da deficiência será trabalhada como uma fonte de inovação social, privilegiando uma visão de oportunidade e encarando-a como um recurso no sentido de melhorar as relações sociais e as organizações, promovendo, em simultâneo, a reflexão e fazendo evoluir a sociedade num caminho que conduza à concretização plena do princípio da inclusão.

Este é um dos vários projetos da APCC financiados pelo programa Erasmus+ e geridos pelo Gabinete de Projetos da Associação, de que são exemplo o LIFE (na área dos serviços para famílias em situações complexas e de múltiplas dificuldades) ou o “ICT in Music Education” (aplicação da tecnologia no ensino da música). Pode conhecer outros projetos, atuais ou já concluídos, em www.apc-coimbra.org.pt/?cat=8.