Secretário de Estado do Desenvolvimento e Coesão visitou a APCC

Nelson de Souza, secretário de Estado do Desenvolvimento e Coesão, realizou na passada sexta-feira uma visita de trabalho à APCC, em que pôde ficar a conhecer a instituição e contactar com dirigentes, colaboradores, utentes e formandos, no âmbito da relação de articulação do Governo com a Plataforma das Organizações para a Formação e Emprego de Pessoas com Deficiência, que congrega entidades que desenvolvem atuação neste setor.

Apesar de focada essencialmente no campo da formação profissional, a visita permitiu ao governante contactar com a Associação na globalidade, tendo mesmo sido iniciada na sua sede, no Centro de Reabilitação de Paralisia Cerebral de Coimbra. Aqui, depois da receção pelo presidente da Direção, Antonino Silvestre, foi feita uma apresentação breve dos serviços em funcionamento na APCC, pela vice-presidente Fátima Januário.

Seguiu-se um périplo por algumas das respostas e atividades desenvolvidas no Centro – nomeadamente, os departamentos de Terapia da Fala, Terapia Ocupacional, Fisioterapia, Educação Física e Desporto e Médico, bem como a Ludoteca, o Jardim de Infância e a Escola Básica – e por diversas áreas da formação trabalhadas na Quinta da Conraria (mecânica, pintura, ajudante de manutenção, ajudante de tratador de equinos, sala interativa, administrativos e jardinagem).

Ainda na Quinta, Nelson de Souza e os representantes das organizações representadas na Plataforma puderam também visitar a exposição “Figuras Assustadoras”, que reúne esculturas criadas por utentes da Sala O2 do Centro de Atividades Ocupacionais da APCC, e assistir a parte do ensaio da banda 5ª Punkada.

O objetivo principal desta visita foi aproximar os decisores políticos da realidade das instituições que operam na formação para pessoas com deficiência, no quadro do funcionamento dos apoios a esta área. A APCC surge neste contexto como uma instituição cujo exemplo pode revelar-se paradigmático, com duas áreas, financiadas sucessivamente por vários quadros comunitários, a ter em conta: a Formação Profissional de Pessoas com Deficiência e Incapacidade, com cerca de 240 formandos em termos diários, e o Centro Qualifica – anteriormente, Centro Novas Oportunidades – que, desde o início da sua atividade, certificou academicamente mais de 650 utentes, 211 dos quais sendo pessoas com deficiência e incapacidade.

A Plataforma das Organizações para a Formação e Emprego de Pessoas com Deficiência é constituída pela FAPPC – Federação das Associações Portuguesas de Paralisia Cerebral (em que a APCC é federada), FENACERCI – Federação Nacional de Cooperativas de Solidariedade Social, FORMEM – Federação Portuguesa de Centros de Formação Profissional e Emprego de Pessoas com Deficiência e HUMANITAS – Federação Portuguesa para a Deficiência Mental.

A APCC tem uma oferta alargada ao nível da formação – tanto especializada, como para pessoas com deficiência e incapacidade e para desempregados, e ainda de certificação de qualificações – com níveis de qualidade elevados e reconhecidos por diversas entidades nacionais e europeias. Pode saber mais na página Web do Centro de Formação, em http://educacaoformacao.apc-coimbra.org.pt/formacao_01.php.