Afonso Cruz esteve na APCC para conhecer quem criou na realidade loja que ele inventou na ficção

“Os livros acabam por encontrar os seus leitores”, afirmou Afonso Cruz numa iniciativa realizada na passada sexta-feira, na Quinta da Conraria, em que também ele pôde encontrar quem o lê, mas igualmente quem levou à prática as suas palavras escritas no livro “Vamos Comprar um Poeta”. E se, como frisou o autor, tudo o que existe à nossa volta já foi objeto de ficção, talvez nem o próprio tivesse imaginado algo como o que foi concretizado por uma professora de teatro e um grupo de utentes da APCC.

Durante quase uma semana – entre 22 e 25 de maio –Adriana Campos e os membros do coletivo Projeto Estúdio abriram e dinamizaram uma loja, bem no coração da Baixa de Coimbra, e desafiaram a cidade, desde os habitantes a outros comerciantes e até a turistas, a descobrir se ainda havia poesia dentro de si.

No encontro do final da semana passada, em que se falou da importância da poesia e da cultura, ou do papel da ficção na realidade, marcaram também presença diretores e profissionais da Associação, bem como docentes e outros elementos ligados ao projeto homónimo do livro, que, além da própria Loja de Vender Poetas, integrou ainda um espetáculo que foi levado, entre março e abril deste ano, a escolas e bibliotecas escolares. O projeto foi apoiado pela Fundação GDA e contou com a parceria da APCC e de várias outras entidades da região.

A Loja de Vender Poetas esteve aberta na Rua Visconde da Luz e permitiu aos seus ‘clientes’ criar o seu próprio poeta, através de exercícios como inventar uma história ou, simplesmente, escutar poesia. Além do envolvimento dos membros do Projeto Estúdio, é de realçar ainda o papel desempenhado pelo Sala T, o outro grupo de teatro da APCC, liderado pela professora Mariana Nunes, que criou os adereços utilizados tanto na Loja como no espetáculo.

Afonso Cruz é um escritor, ilustrador, cineasta e músico português. Nasceu em 1971, na Figueira da Foz, e publicou o seu primeiro romance (“A Carne de Deus — Aventuras de Conrado Fortes e Lola Benites”) em 2008. Oito anos depois, editou “Vamos Comprar um Poeta”, uma história sobre uma sociedade onde o materialismo controla tudo.

O teatro é uma das várias áreas artísticas proporcionadas aos utentes da APCC no âmbito das atividades ocupacionais, contando com dois grupos ativos e aulas de expressão dramática, sendo desenvolvido tanto dentro das paredes da instituição, como em apresentações públicas. Está integrado no Centro de Atividades Ocupacionais, cuja oferta completa pode conhecer melhor em www.apc-coimbra.org.pt/?page_id=247.