A APCC nos Jogos Mundiais da Paralisia Cerebral: medalhas, superação, determinação e alegria

Quando a Sandra Semedo, a Maria Inês Rodrigues e a Mariana Silva viajaram para Sant Cugat, na Catalunha, para participar nos Jogos Mundiais da Paralisia Cerebral, havia uma coisa que todos nós sabíamos: elas iam dar o seu melhor. E agora que a competição terminou, podemos não só confirmar que o fizeram de facto, mas também que isso lhes permitiu espalhar muitos sorrisos de alegria em Espanha e voltar para o nosso país ‘carregadas’ de medalhas.

A Sandra, que é uma das mais destacadas praticantes de tricicleta a nível internacional, conquistou um total de quatro medalhas, tendo chegado ao ouro nos 400, 800 e 1500 metros e à prata nos 200 metros, tendo ainda acabado a prova dos 100 metros muito próxima do pódio, obtendo um quarto lugar. Com esta prestação, passa a ter nove medalhas em grandes provas: às quatro amealhadas agora, juntam-se outras cinco – três de ouro e duas de prata –em Taças e Campeonatos do Mundo de Tricicleta.

Quanto à Maria Inês e à Mariana, disputaram as provas de slalom em cadeira de rodas e alcançaram o bronze nas classes U18 WManual A e U18 WElectric, respetivamente. Estas duas jovens atletas participaram ainda num campo de treino da modalidade, inserido num programa não competitivo para desportos em desenvolvimento, em que puderam testar e melhorar as suas capacidades.

Para a APCC, que ainda esteve ‘representada’ pela treinadora Ana Nunes, atual selecionadora nacional de tricicleta, foi uma excelente participação. Pelos resultados obtidos, mas sobretudo porque deu a três das várias utentes da instituição que frequentam as atividades do Departamento de Educação Física e Desporto a oportunidade de crescer desportivamente, mas também pessoalmente.

Os Jogos Mundiais da Paralisia Cerebral decorreram entre os dias 7 e 13 de agosto e foram organizados pela CPISRA (Cerebral Palsy International Sports and Recreation Association). Este ano, fizeram parte do programa cinco desportos – atletismo (com tricicleta), futebol de 7, natação adaptada, boccia e slalom em cadeira de rodas – e participaram cerca de 600 atletas, em representação de 24 países.

A prática desportiva ocupa um importante lugar na atividade da APCC, instituição pioneira a nível nacional no desporto para pessoas com deficiência. Além da tricicleta e do slalom, muitas outras modalidades são desenvolvidas na Associação, como o boccia, a natação ou o futebol em cadeira de rodas elétrica, tanto a nível competitivo como de lazer e manutenção. Pode saber mais em www.apc-coimbra.org.pt/?page_id=38.