Colaboradores da APCC e parceiros europeus avaliam inovações nos serviços às famílias, em semana de formação a decorrer em Coimbra

Através do Projeto LIFE, a APCC e os seus parceiros internacionais procuram desenvolver novas qualificações, produtos de formação e metodologias que conduzam a intervenções mais eficazes no trabalho com famílias em situações complexas e de múltiplas dificuldades. É com este enquadramento que cerca de trinta profissionais e académicos de Portugal, Eslovénia, Itália, Noruega e Suécia se encontram atualmente em Coimbra para uma semana intensa de formação.

Ao longo dos próximos dias, serão avaliadas particularmente as micro-inovações que cada profissional – de áreas como o serviço social, o bem-estar infantil, a saúde mental, a segurança social ou a educação – aplicou no trabalho diário na sua instituição, após ter sido verificada a necessidade de introdução das mesmas numa reunião do projeto decorrida na cidade eslovena de Liubliana, em fevereiro deste ano.

O desenvolvimento desta espécie de experimentação-piloto, levada a cabo nos últimos meses, e a identificação de boas práticas nos diferentes contextos nacionais e culturais envolvidos neste projeto vão ser algumas das preocupações fundamentais dos participantes nesta formação. Como é política deste projeto, os trabalhos procurarão sempre cruzar teoria, investigação e conhecimento, promovendo a reflexibilidade conjunta de quem investiga e de quem opera na prática.

O Projeto LIFE atua ao nível da atualização dos conhecimentos e da qualificação numa perspetiva de inovação, pretendendo substituir os modelos tradicionais de intervenção por novas práticas, capazes de dar respostas mais eficientes às famílias em situações complexas e de múltiplas dificuldades, aumentando a sua inclusão social. O objetivo é que uma intervenção diferenciada dos profissionais possa resultar numa mudança real nas estruturas familiares e nos serviços prestados.

Neste contexto, a APCC focalizará sua atenção em famílias de pessoas com paralisia cerebral e doenças neurológicas afins, deficiência intelectual e multideficiência. A Associação tem como parceiros neste projeto o Centro de I&D do Município de Linköping (Suécia), a NTNU – Universidade de Ciência e Tecnologia de Trondheim (Noruega), a Universidade de Liubliana (Eslovénia) e o Município de Cervia (Itália).

Esta é mais uma das várias parcerias desenvolvidas no âmbito da atividade do Gabinete de Projetos da APCC, de que são também exemplo, entre outros, os projetos DARE (no campo da assistência domiciliária) ou “Tecnologias de Informação e Comunicação na Educação Musical” (aplicação da tecnologia no ensino da música). Pode conhecer outros, atuais ou já concluídos, em www.apc-coimbra.org.pt/?cat=8.