APCCCultura: ‘viagem’ parou desta vez em Serralves e na Casa da Música

O programa APCCCultura é uma viagem: por pontos de interesse cultural e social de todo o país, mas também pelas relações que os utentes da APCC nele envolvidos estabelecem com o mundo que os rodeia, uns com os outros e, até, consigo mesmos, numa perspetiva de crescimento e enriquecimento pessoal. E, no passado fim de semana, essa viagem fez uma paragem em Serralves e na Casa da Música.

No Museu, os olhos percorreram as obras das exposições “Joan Miró e a Morte da Pintura” (centrada na produção do mestre catalão em 1973, período em que colocou a pintura à prova, numa tentativa de renovar os seus recursos e procedimento), “Tacita Dean” (dedicado ao trabalho daquela reconhecida artista visual e que projeta o filme “Boots”, filmado na Casa de Serralves, com o seu novo e ambicioso projeto “Antigone”) e “Joana Vasconcelos – I’m Your Mirror” (que reúne mais de 30 peças da artista portuguesa, cobrindo duas décadas e analisando o seu desenvolvimento como artista).

Na sala de concertos, os ouvidos tiveram o privilégio de escutar a Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música tocar composições de Claude Vivier (“Siddharta”, inspirada no livro homónimo de Hermann Hesse e dirigida nesta ocasião pelo maestro Brad Lubman), Elliott Carter (“Concerto”, um dos marcos do repertório violinístico do final do século XX, interpretada por Irvine Arditti) e Charles Ives (“Three Places in New England”, que inclui referências a temas militares e ao espiritual negro “Old Black Joe”).

Pelo meio, o grupo de utentes e profissionais da APCC ainda teve oportunidade para partilhar alguns momentos de convívio (inclusive à mesa, onde se forjam sempre boas amizades…), cumprindo assim o desígnio de um programa que congrega três pilares – arte, lazer e cultura – no sentido de permitir aos participantes a participação ativa na comunidade e, dessa forma, aumentar a sua qualidade de vida.

Com APCCCultura, dinamizado pelo Departamento de Expressão Plástica e que engloba um conjunto diversificado de atividades, a Associação procura garantir o direito de cada indivíduo ao acesso à cultura, suscitando dessa forma uma consciencialização sobre as ideias de igualdade e dignidade e ajudando ainda a construir uma estrutura de conhecimento que tenha em conta as áreas de interesse individuais.

O desenvolvimento de atividades ligadas à arte é uma parte fundamental da ação da APCC enquanto promotora da inclusão social. No Departamento de Expressão Plástica, em particular, coloca-se em prática uma visão da arte não como uma “fábrica de artistas”, mas antes como um veículo para despertar a criatividade e a imaginação. Pode saber mais em www.apc-coimbra.org.pt/?page_id=528.