Uma palavra para descrever o programa APCCCultura? Está neste texto sobre um espetáculo da Companhia Olga Roriz…

É virtualmente impossível resumir o programa APCCCultura numa palavra, mas se tivéssemos mesmo de o fazer, escolheríamos provavelmente ‘viver’… Vejamos o exemplo da última iniciativa, que incluiu assistir à peça “A Meio da Noite”, da Companhia Olga Roriz, no Centro de Artes de Águeda, e que deixou um grupo de 13 utentes da APCC algures entre o «choque» (daquele tipo bom) e a vontade enorme de repetir a experiência.

É preciso notar que se tratou uma espécie de noite de estreia: muitos nunca tinham assistido a um espetáculo de dança nem tinham sequer uma ideia clara do que é a dança contemporânea. Talvez por isso, durante aquela hora e meia, os olhos fixaram-se completamente no palco, como forma de absorver tudo o que estava a acontecer e de processar toda a experiência.

E é por isso que falámos de ‘viver’, porque, ao procurar proporcionar aos utentes da Associação a realização de atividades artísticas, culturais e de lazer que contribuam para o seu enriquecimento pessoal, o programa APCCCultura lida, na verdade, com emoções. A emoção da descoberta, de se apaixonar por algo novo, de conhecer o mundo pelos seus próprios olhos, mesmo quando contado por outros.

O espetáculo “A Meio da Noite” é uma abordagem à temática existencialista do encenador e cineasta Ingmar Bergman e, simultaneamente, uma peça sobre o processo de criação numa procura incessante de si próprio e dos outros. É uma profunda homenagem ao realizador sueco, aos atores dos seus filmes e aos intérpretes da própria Companhia Olga Roriz, tendo sido criado a propósito do centenário do nascimento de Bergman, em 2018.

O programa APCCCultura é dinamizado pelo Departamento de Expressão Plástica, com o objetivo de permitir aos utentes da instituição a participação ativa na comunidade e, dessa forma, aumentar a sua qualidade de vida. Ao garantir o direito de cada indivíduo ao acesso à cultura, suscita uma consciencialização sobre as ideias de igualdade e dignidade e ajuda a construir uma estrutura de conhecimento que tenha em conta as áreas de interesse de cada um.

O desenvolvimento de atividades artísticas é uma parte fundamental da ação da APCC enquanto promotora da inclusão social, com os utentes a participarem em atividades nas áreas da expressão plástica, expressão musical e expressão dramática. No Departamento de Expressão Plástica, em particular, coloca-se em prática uma visão da arte não como uma “fábrica de artistas”, mas antes como um veículo para despertar a criatividade e a imaginação. Pode saber mais em www.apc-coimbra.org.pt/?page_id=528.