O Buddha Eden foi a última ‘paragem’ do programa APCCCultura… antes das férias!

Com o programa APCCCultura, têm sido muitas e diversificadas as possibilidades proporcionadas aos utentes da APCC para se envolverem e adquirirem um maior conhecimento dos mundos da arte e da cultura, mas também do lazer. E não era por estarmos próximo do final do primeiro semestre deste ano que eles iam perder uma oportunidade para (voltar a) experimentar algo novo.

Assim, no passado sábado – e depois de o programa já ter permitido vivências em campos como a pintura, a escultura, o desenho, a música, o bailado ou o simples prazer de estar com os amigos – experienciaram uma mistura… curiosa: vinho, arte e natureza. No Bacalhôa Buddha Eden, o maior jardim oriental da Europa, a coleção escultórica e os budas, pagodes e estátuas de terracota deixaram os utentes da Associação verdadeiramente impressionados.

Os aspetos altamente positivos do programa são destacados, em jeito de balanço, pela professora Suzete Azevedo, responsável pelo seu desenvolvimento e coordenadora do Departamento de Expressão Plástica: «Fazer parte é estar ao lado… é muito mais do que a palavra incluir. O acesso à cultura e à arte dignifica e quebra qualquer barreira social. O paradigma que tentamos mudar, com o enriquecimento cultural, é o aumento da participação da pessoa com deficiência. Foi um ano rico em experiências nas diversas áreas, mas com maior investimento na arte, porque esta potencia a individualidade e espelha o Eu».

O programa APCCCultura dá aos utentes da APCC a oportunidade de conhecer mais do mundo que os rodeia e nele participar ativamente. O objetivo genérico de contribuir para aumentar a qualidade de vida é concretizado através da promoção do direito de acesso à cultura e do contributo para uma consciencialização sobre as ideias de igualdade e dignidade, contribuindo dessa forma para a construção de uma estrutura de conhecimento que tenha em conta as áreas de interesse de cada pessoa.

O desenvolvimento de atividades ligadas à arte é uma parte fundamental da ação da APCC enquanto promotora da inclusão social. No Departamento de Expressão Plástica, em particular, coloca-se em prática uma visão da arte não como uma “fábrica de artistas”, mas antes como um veículo para despertar a criatividade e a imaginação. Pode saber mais em www.apc-coimbra.org.pt/?page_id=528.