APCC tem aberta toda a semana uma Loja de Vender FI na Baixa de Coimbra

Coube a Liliana Plateia, António Quarta Parede, Bruno Palco e Nuno Camarim ‘abrir’ ontem de manhã a Loja de Vender FI, que se instalou na Baixa de Coimbra e se propôs vender a quem passava um elixir milenar do qual dizem ser útil porque não serve exatamente para nada que se reduza a relatórios ou números. À tarde, a performance repetiu-se, dessa vez com Bruno Quarta Parede, Andreia Frente de Sala, Bárbara Teia e Marta Baton.

E assim vai continuar a ser, em sessões duplas diárias, até 4 de outubro, com aqueles e outros ‘alter egos’ dos membros do Projeto Estúdio (um dos grupos de teatro da APCC) e a professora Adriana Campos a desafiarem quem passa nas ruas Ferreira Borges e Visconde da Luz para descobrir o nível de faz de conta que há dentro de si.

As apresentações desta loja ambulante, encenadas entre as 10H00-12H00 e as 14H00-15H30, convidam os participantes a olhar para um determinado objeto – um pequneo móvel, um laboratório ou algo completamente diferente? – e, a partir de sugestões e revelações dos utentes da APCC, inventar uma história. O que se pretende é estimular a capacidade criativa, a capacidade de fazer perguntas ou a capacidade – porque não? – de ir ao teatro.

Logo no primeiro dia, foram já muitos os ‘clientes’ de todas as idades que experimentaram o elixir FI (de fingir, capacidade indispensável para dominar o faz de conta) e foram nomeados inuFIlistas. E mesmo depois de ‘fechar’ a Loja de Vender FI, a equipa irá continuar a desenvolver este projeto: está já a ser elaborado um Tratado do Faz de Conta e foram estabelecidos contactos com ‘business angels’ de vários quadrantes da sociedade. Quem quiser descobrir mais, só precisa de seguir a página de Facebook da Loja de Vender Poetas.

Este projeto surge na sequência do sucesso da Loja de Vender Poetas, que, no ano passado, foi ‘aberta’ pelo Projeto Estúdio numa antiga loja desocupada na Rua Visconde da Luz. O desafio foi então descobrir a poesia que existe dentro de cada um, através de experiências como escutar poemas ou ‘criar’ o seu próprio poeta. Nessa altura, como agora volta a acontecer, a APCC contou com o apoio fundamental da Agência para a Promoção da Baixa de Coimbra.

Na APCC, o teatro é uma das várias áreas artísticas proporcionadas aos utentes, através da atividade dos dois grupos ativos e da dinamização de aulas de expressão dramática, sendo desenvolvido tanto dentro das paredes da instituição, como em apresentações públicas. Pode saber mais na página do Centro de Atividades Ocupacionais.