Chegou a vez de Lisboa receber a exposição “Cru – O Corpo (im)Perfeito”

É já na próxima segunda-feira (2 de março) que fica patente em Lisboa a exposição “Cru – O Corpo (im)Perfeito”, que reúne desenhos e pinturas dos utentes do Departamento de Expressão Plástica da APCC. Será no espaço A Sala, em São Bento, e ali ficarão expostas, durante duas semanas, 30 obras em que o olhar da pessoa com deficiência sobre os outros corpos e o seu próprio é o fio condutor de um percurso em que se procura (des)construir a ideia de Belo.

A coleção de quadros resultantes do projeto com o mesmo nome (que, no seu conjunto, chega às quatro centenas de trabalhos) é a concretização de um processo que começou com o desafio simples de desenhar qualquer corpo e se foi transformando progressivamente numa provocação: por oferecer ao público uma visão com a qual este raramente – se alguma vez – se confrontou e por desafia-lo a transformar o (seu) paradigma de corpo perfeito.

“Cru – O Corpo (im)Perfeito” é para ver de 2 a 16 de março de 2020, na Rua Correia Garção, 11, de segunda-feira a sábado, entre as 13H00 e as 23H00 (segundas a quintas), as 13H00 e as 02H00 (sextas) ou as 18H00 e as 02H00 (sábados). A Sala é um bar, um restaurante, uma galeria, um espaço onde se recebem amigos e convidados, utilizado em atividades de convívio e lazer. Um local onde se come, bebe e está.

Esta exposição, com uma seleção de obras diferente, esteve já patente no Porto, no espaço Artbeat, entre dezembro de 2019 e janeiro de 2020, estando prevista para este ano a sua passagem por outras cidades do País, entre as quais Coimbra.

O projeto “Cru – O Corpo (im)Perfeito” pretende contribuir para a descoberta de novas perceções da dicotomia belo/feio, alterar a imagem social da pessoa com deficiência e alterar comportamentos para a aceitação do corpo diferente. É coordenado pela responsável do Departamento de Expressão Plástica da APCC, Suzete Azevedo, e conta com a participação de António Castanheira, António Gonçalves, António Sequeira, Carina Martins, Carlos Alves, Cláudio Gante, Diogo Sacramento, Eugénio Santos, Fernando Oliveira, Isabel Lopes, Isabel Pereira, Jaime Cortesão, João Pedro Moreira, João Raúl, João Vaz, Julieta Santos, Leonardo Fonseca, Liliana Ferreira, Lúcia Assis, Luísa Fernandes, Madalena Silva, Márcio Ribeiro, Mário Carvalho, Nelson Pires, Nino Conceição, Olga Ramalhais, Regina Cardoso, Ricardo Ferreira, Ricardo Monteiro, Ricardo Rebola, Ricardo Simões, Sara Barros, Tiago Preces e Vasco Sequeira.

Trata-se de uma iniciativa cofinanciada pelo Programa Nacional de Financiamento a Projetos 2019 do INR – Instituto Nacional para a Reabilitação.

O Departamento de Expressão Plástica da APCC tem os seus objetivos alicerçados numa visão da arte não como uma “fábrica de artistas”, mas antes como um veículo para despertar a criatividade e a imaginação, dessa forma capaz de desenvolver competências e de potenciar o domínio sensorial e cognitivo. Pode saber mais em www.apc-coimbra.org.pt/?page_id=528.