Há um projeto europeu para melhorar a experiência das pessoas com necessidades especiais em visitas guiadas e os utentes da APCC foram ‘testá-lo’

São já três séculos a ser palco e testemunha de muitos episódios marcantes da vida da Universidade de Coimbra e do próprio País e, na passada sexta-feira, mais um momento histórico teve lugar na Biblioteca Joanina: no contexto de um projeto europeu que pretende dotar guias-intérpretes com competências para fazer visitas com pessoas com necessidades especiais, nomeadamente com dificuldades de aprendizagem, alguns utentes da APCC participaram uma visita guiada de contornos particulares.

Conduzida pela guia-intérprete Catarina Freire, colaboradora da Universidade, esta visita fez parte da sua formação e avaliação no âmbito do curso T-GuIDE, promovido pela FEG – Federação Europeia de Guias, organização parceira da ENAT (Rede Europeia de Turismo Acessível). Para os utentes da APCC, residentes do Lar Integrado e do Lar Residencial, foi uma oportunidade única para não só conhecer (ou revisitar) um local de grande importância patrimonial e beleza, mas de o fazer numa situação com contornos particularmente inclusivos.

O projeto e o curso T-GuIDE – Tourist Guides for People with Learning and Intellectual Difficulties in Europe pretendem dar resposta a dois dos grandes desafios da sociedade atual: aumentar as oportunidades no mercado de trabalho e promover a inclusão social. Os guias-intérpretes que completam esta formação obtêm uma certificação na realização de visitas com o referido público-alvo e ficam ainda capacitados para serem, igualmente, formadores nesta área.

Neste momento, existe apenas uma guia-intérprete portuguesa certificada: Maria João Moreira, em cuja formação a APCC também colaborou, tendo na ocasião um grupo de utentes da instituição participado numa visita guiada ao Museu Nacional de Machado de Castro, com um foco particular no Tesouro da Rainha Santa, que se encontra exposto naquele espaço.

O Lar Integrado Dr. José Mendes Barros e o Lar Residencial são duas das unidades residenciais da APCC. No primeiro, são apoiadas famílias cujos elementos, devido ao avançar da idade, não conseguem já prestar os cuidados necessários aos seus filhos com deficiência ou incapacidade, enquanto que no segundo o enfoque é o apoio à integração escolar, em centros de atividades ocupacionais, em programas de re(h)abilitação intensivos ou em formação profissional. Pode saber mais em www.apc-coimbra.org.pt/?page_id=264.