fbpx

Projeto MAGISTER e os seus impactos já visíveis foram avaliados em reunião com técnicos portugueses de diversas instituições

O projeto MAGISTER, promovido pela APCC com parceiros da Roménia e da Áustria, teve início em outubro de 2018, num mundo muito diferente daquele em que vivemos agora. Tudo o que aconteceu entretanto, em particular no último ano, mudou profundamente os planos iniciais de desenvolvimento do projeto – obrigando a passar as atividades para um formato online – mas não impediu, por exemplo, que 48 técnicos de Portugal e da Roménia se tenham tornado formadores especializados na melhoria dos serviços prestados na área da saúde mental.

Com o objetivo de fazer um balanço deste percurso, os mais recentes novos formadores portugueses participaram esta semana numa sessão, inevitavelmente online, com responsáveis da APCC, que serviu ainda para uma entrega simbólica dos respetivos certificados. Em discussão, estiveram a importância deste projeto para cada um dos envolvidos, tanto a nível profissional, como pessoal.

Foi realçada a envolvente humana, com pessoas de diferentes origens a partilhar conhecimentos e a realizar novas aprendizagens, bem como a importância das características da formação realizada – transnacional, juntando técnicos de diferentes áreas – para o sucesso obtido. Igualmente assinalado foi o impacto que é já possível identificar nas práticas dos participantes, em particular no contexto de pandemia que vivemos.

Desenvolvido com o intuito de contribuir para aumentar a inclusão social de pessoas afetadas por alguma forma de doença mental, estima-se que possam beneficiar do MAGISTER, de forma direta, mais de 1500 pessoas com necessidades especiais de saúde mental, com as quais trabalham quotidianamente os técnicos envolvidos (ligados aos parceiros associados mas também a outras instituições, no âmbito de um processo de candidaturas abertas que teve grande procura).

O projeto “MAGISTER – Mental HeAlth Professional’s Learning Community – continuous traininG program for practItionerS working with people affecTed by mEntal disoRders” teve como parceiros a APCC, a Organização Humanitária Concordia, a Fundação Estuar (ambas da Roménia) e a Universidade de Ciências Aplicadas de Vorarlberg (Áustria). O seu objetivo principal foi a formação, com autonomia e especialização graduais, de profissionais de qualquer área de intervenção, que exercem a sua atividade junto de pessoas com necessidades especiais de saúde mental. Foi cofinanciado pelo programa Erasmus +.

É igualmente através daquele programa europeu que são ou foram promovidos projetos como o “RaceFree: RaceRunning – Speed and Freedom for All”, o “SIM – Social Inclusion Marketing”, ou o “Change 2 Regard – Place des personnes en situation de handicap: un projet sociétal”, entre outros. Pode saber mais sobre os projetos desenvolvidos na APCC em www.apc-coimbra.org.pt/?cat=8.