Sandra Semedo conquistou duas medalhas no Campeonato do Mundo de Tricicleta

A atleta Sandra Semedo conquistou uma medalha de ouro e outra prata no Campeonato do Mundo de Tricicleta, que se disputou na Dinamarca e teve anteontem o último dia de provas. A triciclista da APCC é agora campeã mundial da categoria RR2 nos 400 metros e vice-campeã nos 200, tendo ainda obtido um ótimo quarto lugar nos 100.

Sandra, de 29 anos, junta estas duas medalhas às três conseguidas no ano passado na Taça do Mundo de Tricicleta, confirmando-se assim como um dos grandes nomes desta modalidade a nível mundial. É ainda a atual campeã de Portugal de todas as distâncias da sua categoria e detentora de sete recordes portugueses nas classes RR2 e RR3.

Parte dos méritos terão de ser divididos com a sua treinadora Ana Nunes, responsável pelo treino de todos os triciclistas da APCC e selecionadora nacional da modalidade, cargo que a levou a liderar pela primeira vez a Seleção Nacional neste Campeonato. No global, os atletas portugueses – além de Sandra Semedo, participaram Hugo Correia e João Lomar – conseguiram apurar-se para oito finais.

Além da vertente competitiva, os elementos da delegação de Portugal puderam ainda participar em atividades de cariz social e cultural e fóruns para atletas, treinadores e chefes de delegação. Colaboraram também com um estudo, realizado por investigadores ingleses, sobre a modalidade.

O Campeonato do Mundo de Tricicleta de 2017 (evento com origem na Taça do Mundo, já com mais de 20 edições disputadas, mas que só este ano tomou esta designação) disputou-se na cidade dinamarquesa de Frederiksberg, entre 13 e 15 de julho. Em prova estiveram cerca de 100 atletas, em representação de 12 países.

A tricicleta é uma modalidade mista, com três classes de competição, para pessoas com paralisia cerebral e deficiências motoras que afetem o movimento ou o equilíbrio, que se desloquem em cadeira de rodas ou que não tenham uma corrida funcional a pé. Realiza-se em pistas de atletismo e os atletas usam os pés para correr num equipamento com três rodas e três apoios. Na APCC, começou a ser praticada há quase duas décadas, tendo sido retomada com particular entusiasmo nos últimos anos. Pode saber mais em www.apc-coimbra.org.pt/?page_id=282.