Utentes das unidades residenciais da APCC também celebraram o Dia Mundial da Fisioterapia (e ainda viajaram no tempo)

A 8 de setembro, celebrou-se mais um Dia Mundial da Fisioterapia e um grupo de utentes da APCC juntou-se à festa! Numa iniciativa da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra, o Parque Verde do Mondego foi palco de diversas iniciativas destinadas a promover a atividade física e hábitos de vida saudável, orientadas por profissionais e estudantes daquela área.

E foi por isso que clientes das unidades residenciais da Associação (Lar de Apoio, Lar Residencial e Lar Integrado Dr. José Mendes Barros) participaram em classes de movimento e outras ações de sensibilização, que decorreram naquele contexto. Desta forma, e além de se terem divertido bastante, aprenderam mais sobre promoção de saúde, prevenção de quedas e outros temas.

No final, ainda passaram pela iniciativa “(Re)viver”, que decorria no Parque Manuel Braga e em que era recriado o ambiente da cidade de Coimbra nos finais do século XIX. Ali, entre os carros de bois, as bicicletas pasteleiras, os brinquedos tradicionais ou as bancas de frutas e legumes, os utentes da instituição puderam observar, por exemplo, a recriação de diversas profissões típicas daquele tempo.

A fisioterapia está, na APCC, integrada na resposta social de reabilitação, com profissionais que atuam preferencialmente nos primeiros anos de vida da criança. Dada a complexidade da paralisia cerebral, esta atuação é realizada no âmbito de uma equipa interdisciplinar, de que a família é parte ativa.

São três, e com objetivos distintos, as unidades residenciais da APCC: o Lar de Apoio é uma unidade destinada prioritariamente a utentes que careçam de apoio suplementar ou se encontrem temporariamente incapacitados de residir no seu meio familiar; o Lar Residencial é um equipamento para acolhimento de pessoas que se encontram impedidas, temporária ou definitivamente, de residir no seu meio familiar; o Lar Integrado apoia famílias cujos elementos, devido ao avançar da idade, não conseguem já prestar os cuidados necessários aos seus filhos com deficiência ou incapacidade. Pode saber mais em www.apc-coimbra.org.pt/?page_id=264.