Pelos caminhos do APCCCultura: entre o deslumbramento e a partilha, numa visita à Casa Museu Teixeira Lopes

No Departamento de Expressão Plástica da APCC, há uma nova coleção a tomar forma, que tem como tema o corpo. E, assim, os dias fazem-se desenhando linhas que percorrem múltiplas formas humanas e acentuando sombras que podem revelar tanto quanto escondem. Paralelamente, o programa APCCCultura tem vindo a permitir outro tipo de experiência, mas que concorre para a mesma interrogação e reflexão.

Depois das visitas às coleções e exposições do Museu Berardo e de Serralves e de assistirem a um concerto com a Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música e a um espetáculo da Companhia Olga Roriz, um grupo de utentes da Associação teve, no passado sábado, a possibilidade de conhecer a Casa Museu Teixeira Lopes, em Vila Nova de Gaia, onde se destacam as obras dos escultores António Teixeira Lopes e Diogo de Macedo.

Entre o deslumbramento de estar perto de algumas obras marcantes das artes visuais do século XIX e das primeiras décadas do século XX – e a surpresa por descobrir um estudo do que viria a ser a imagem da Rainha Santa Isabel, atualmente exposta na Igreja da Rainha Santa, em Coimbra – houve ainda a possibilidade de ‘reencontrar’ a pintora Paula Rego, cuja exposição “Paula Rego, 1982-2006: Uma Seleção” se encontra atualmente ali patente.

A estas emoções, juntaram-se as que invadem os amigos sempre que estão juntos: alegria, partilha e felicidade. Porque os momentos de convívio que marcam todas estas iniciativas são, afinal, tão importantes quanto os outros. Tudo isto é, afinal, a razão de ser do APCCCultura, que junta arte, cultura e lazer, mas, sobretudo, junta pessoas com vontade de, em conjunto, conhecer mais do mundo que as rodeia e de nele participar ativamente.

O programa APCCCultura é dinamizado pelo Departamento de Expressão Plástica, com o objetivo genérico de aumentar a qualidade de vida dos utentes da instituição, através da promoção do direito de cada indivíduo ao acesso à cultura, do contributo para uma consciencialização sobre as ideias de igualdade e dignidade e, dessa forma, da construção de uma estrutura de conhecimento que tenha em conta as áreas de interesse de cada um.

O desenvolvimento de atividades ligadas à arte é uma parte fundamental da ação da APCC enquanto promotora da inclusão social. No Departamento de Expressão Plástica, em particular, coloca-se em prática uma visão da arte não como uma “fábrica de artistas”, mas antes como um veículo para despertar a criatividade e a imaginação. Pode saber mais em www.apc-coimbra.org.pt/?page_id=528.