Musicoterapeuta da APCC leva experiência dos Ligados às Máquinas a encontro internacional

“O grupo musical como catalisador no processo terapêutico: considerações sobre as suas limitações e potenciais – um estudo de caso”. É este o título da palestra que Paulo Jacob, musicoterapeuta da APCC, fará no XII Encontro Internacional de Musicoterapia (que se realiza no dia 9 de novembro, em Leiria) e que será focada na sua experiência com os Ligados às Máquinas.

O também professor e coordenador do Departamento de Música da APCC partilhará as suas reflexões quanto às possíveis formas como uma experiência eminentemente performativa, como é o caso da vivida naquela orquestra de samples, pode ou não originar intervenções no campo da musicoterapia, em que o trabalho do profissional tem objetivos terapêuticos (facilitar e promover a comunicação, a relação, a aprendizagem, a mobilidade, a expressão e a organização, por exemplo).

Além desta palestra, que estará integrada num painel de casos a iniciar pelas 16H15, Paulo Jacob será ainda o responsável pela dinamização de um workshop, subordinado ao tema “Um mundo de possibilidades: Acessibilidade musical para todos”, a partir das 11H15. O XII Encontro Internacional de Musicoterapia, organizado pela APMT – Associação Portuguesa de Musicoterapia, decorrerá no Estádio Municipal de Leiria – Dr. Magalhães Pessoa.

Paulo Jacob é profissional da APCC há mais de 17 anos, tendo assumido a responsabilidade pelo grupo pop/rock 5ª Punkada, com uma longa história de concertos em Portugal e no estrangeiro, e promovido a criação da orquestra de samples Ligados às Máquinas, a primeira do seu género no mundo. Na Associação, dinamiza ainda sessões de musicoterapia e workshops de música inclusiva.

Os Ligados às Máquinas são um projeto musical de originais que, a partir de amostras sonoras, cruza hip-hop, rock, techno, fado, blues, world music, música erudita, música concreta e sons da publicidade ou de séries televisivas, criando uma verdadeira manta de retalhos musical. Já realizaram diversos espetáculos um pouco por todo o país e participaram em projetos colaborativos com outros músicos.

A música é uma área de elevada importância no âmbito da atuação da APCC, com intervenções ao nível da musicoterapia, educação musical adaptada e expressão musical adaptada. São também dinamizados vários grupos, que percorrem estilos que vão da música experimental ao pop/rock ou à música tradicional portuguesa. Pode saber mais sobre a atividade do Departamento de Música da instituição em www.apc-coimbra.org.pt/?page_id=163.