Música

Ligados às Máquinas vezes dois: orquestra de samples da APCC com atuações ao vivo em Seia e Condeixa

Duas oportunidades em sete dias para ver os Ligados às Máquinas ao vivo. Os próximos fins de semana prometem muito hip-hop, fado, rock, techno, blues, world music, música erudita e música concreta: tudo sons que, neste inovador projeto musical nascido na APCC, são misturados com sons da publicidade e de séries televisivas para criar uma manta de retalhos sonoros profundamente original.

A primeira atuação decorrerá já no próximo dia 14 de maio, no Cineteatro da Casa Municipal da Cultura de Seia, no âmbito do Festival Especial (com início previsto para as 15H30), em que os Ligados às Máquinas serão os convidados especiais. No dia 20, o grupo apresenta-se em Condeixa, no Spring Fest 2017, atuando a partir das 21H00, no Palco PO.RO.s (o evento realiza-se no Parque Verde daquela vila). As entradas são livres em ambas as ocasiões.

Ler mais

Ligação entre música e tecnologias da informação é objetivo de projeto europeu com participação da APCC

Entre hoje e amanhã, realiza-se em Iaşi, na Roménia, a segunda reunião do projeto “Tecnologias de Informação e Comunicação na Educação Musical”, que junta a APCC a outras oito organizações europeias no objetivo comum de promover formas de aprendizagem mais eficientes e efetivas através da aplicação da tecnologia no ensino da música. Trata-se de uma iniciativa dirigida a jovens adultos, em particular aos que se interessam pelas TIC e pela música.

Neste contexto, cada parceiro desenvolverá e partilhará estratégias para usar a tecnologia como forma de compreender a música de diferentes culturas, por exemplo, dando a conhecer instrumentos tradicionais e léxicos musicais próprios de cada um dos países envolvidos, estimulando a criação de composições originais ou promovendo atuações ao vivo. As TIC servirão, portanto, de base essencial para as experiências musicais e exploração de semelhanças, diferenças e diversidade entre cidadãos.

Ler mais

A não perder, no próximo dia 21: Ligados às Máquinas ao vivo em Aveiro!

170317_APCC_LigadosMaquinas-Aveiro_thumbOs Ligados Às Máquinas, a primeira orquestra de samples do mundo em cadeira de rodas, vão estar em concerto na Universidade de Aveiro, no próximo dia 21 de março, pelas 18H00. Será a primeira atuação na cidade deste grupo constituído por utentes da APCC, que fazem música utilizando exclusivamente samples sonoros que eles próprios escolhem e recolhem, para construir as suas próprias composições.

Prometido está um espetáculo único, fruto das vivências dos artistas que subirão ao palco, que juntará hip-hop e fado, rock e techno, blues e world music, música erudita e música concreta, sons da publicidade e séries televisivas, para criar uma manta de retalhos sonora surpreendente e revigorante.

Ler mais

Colaboradores e utentes da APCC puderam assistir em exclusivo à ante-estreia de “Mudo”

170130_APCC_Mudo-AnteEstreias_thumbFoi há pouco mais de dois meses que, numa casa da Quinta da Conraria transformada em estúdio de cinema, colaboradores e utentes da APCC iniciaram a rodagem de “Mudo”. E no final da passada semana, juntaram-se a outros colaboradores e utentes (e também às crianças do Jardim de Infância) para uma série de sessões de ante-estreia daquela curta-metragem.

Estas exibições exclusivas decorreram na Quinta da Conraria e no Centro de Reabilitação de Paralisia Cerebral, respetivamente nos dias 26 e 27 de janeiro, e foram uma primeira oportunidade para apresentar o trabalho realizado. Além do filme em si, foram também mostrados diversos elementos cenográficos e a maquete da cidade onde decorre a ação, todos construídos em cartão e com recurso a material de desperdício.

Ler mais

Silêncio, que se vai fazer um filme!

161122_apcc_mudo-gravacoes_thumbA Quinta da Conraria é, desde ontem e durante uma semana, uma espécie de Hollywood da APCC. Tudo porque já começaram as gravações de “Mudo”, uma curta-metragem sobre a mudança – em que os atores são os membros dos grupos de teatro da Associação (Sala T e Teatro Estúdio) – que vai levar os espectadores a entrar numa cidade que pode ou não ser de brincar.

Para já, e antes de passar para a tela, trata-se de uma cidade que existe apenas numa casa da Quinta, transformada em estúdio, sala de caracterização e oficina de cenografia. Construída integralmente com cartão, tal como os adereços usados, será esta cidade sem nome nem localização particular que assistirá ao desenrolar de uma história em que a personagem central é um músico e as relações que este estabelece com os outros habitantes do seu prédio.

Ler mais