fbpx

Teatro

APCC tem aberta toda a semana uma Loja de Vender FI na Baixa de Coimbra

Coube a Liliana Plateia, António Quarta Parede, Bruno Palco e Nuno Camarim ‘abrir’ ontem de manhã a Loja de Vender FI, que se instalou na Baixa de Coimbra e se propôs vender a quem passava um elixir milenar do qual dizem ser útil porque não serve exatamente para nada que se reduza a relatórios ou números. À tarde, a performance repetiu-se, dessa vez com Bruno Quarta Parede, Andreia Frente de Sala, Bárbara Teia e Marta Baton.

E assim vai continuar a ser, em sessões duplas diárias, até 4 de outubro, com aqueles e outros ‘alter egos’ dos membros do Projeto Estúdio (um dos grupos de teatro da APCC) e a professora Adriana Campos a desafiarem quem passa nas ruas Ferreira Borges e Visconde da Luz para descobrir o nível de faz de conta que há dentro de si.

Ler mais

APCC volta a levar a poesia à Baixa de Coimbra, desta vez com loja ambulante

Quem, na próxima semana, passar ou passear pelas ruas Ferreira Borges e Visconde da Luz, bem no coração da Baixa de Coimbra, poderá muito bem ser surpreendido com poesia. É que o Projeto Estúdio, um dos dois grupos de teatro da APCC, vai abrir naqueles dias a sua Loja de Vender FI. Trata-se de uma loja ambulante, que funcionará de manhã (10H00-12H00) e de tarde (14H00-15H30), em que estará à venda um elixir descoberto há milhares de anos, que tem vindo a passar de geração em geração e que ainda hoje continua a ser útil porque não serve exatamente para nada que se reduza a relatórios ou números.

Na verdade, é uma performance que envolverá os ‘clientes’ num exercício em que serão convidados a olhar para um determinado objeto e, a partir de sugestões e revelações dos utentes da APCC, inventar uma história. Aqueles que mostrem acreditar inutilmente que fazer de conta pode ser a substância da sua vida, serão nomeados inuFIlistas.

Ler mais

‘Proprietários’ e ‘fornecedores’ da Loja de Vender Poetas fizeram um ateliê para um muito especial grupo de ‘clientes’…

Lembram-se de quando, no ano passado, uma loja temporária abriu no coração da baixa de Coimbra, permitindo a todos os seus clientes adquirir um poeta à medida? Esse singular espaço comercial, resultado do espírito empreendedor da professora de teatro Adriana Campos e dos membros do grupo de teatro Projeto Estúdio, da APCC, foi o mote para o dia especial que ontem se viveu.

Um grupo de utentes da CERCIAG – Cooperativa de Educação e Reabilitação de Cidadãos com Incapacidades de Águeda esteve na Quinta da Conraria para saber tudo o que é importante saber sobre a Loja de Vender Poetas: as suas origens, a partir do livro “Vamos Comprar um Poeta”, de Afonso Cruz; a construção da interação com os ‘clientes’; e a sua ligação ao espetáculo homónimo do livro, que Adriana Campos levou a centenas de alunos do 3º ciclo do ensino básico da região Centro entre 2018 e 2019.

Ler mais

A voluntária europeia Anna Zubova preparou a ‘viagem’ e foi assim que os utentes da APCC ‘visitaram’ a Rússia

Passear na Praça Vermelha e admirar a Catedral de São Basílio, visitar o Kremlin, atravessar uma das pontes sobre o rio Moscovo, percorrer as margens do Lago Baikal, gastar alguns rublos em compras… Estes foram alguns dos desafios à imaginação deixados pela voluntária europeia Anna Zubova ao grupo da Sala do Teatro da APCC, durante uma muito interessante apresentação da Rússia, realizada na manhã de ontem.

Para a Anna, que preparou tudo com muito cuidado e detalhe, foi uma forma de matar algumas saudades do seu país natal, enquanto que para os utentes da APCC foi uma oportunidade para aprender coisas novas – e algumas verdadeiramente surpreendentes… sabiam, por exemplo, que existem nove fusos horários diferentes na Rússia?! – sobre uma terra muito distante e da qual sabiam muito pouco.

Houve muita...

Ler mais

A Valentina ‘regressou’ à Quinta da Conraria e levou consigo uma “Estranha História em Círculo”

Depois da estreia perante a comunidade escolar que a viu nascer, a “Estranha História em Círculo” desdobrou o tecido de que é feita, desenrolou as suas linhas e deixou-se ser estranhada na Quinta da Conraria. Aconteceu ontem e, para quem (ainda) não sabe do que estamos a falar, tratou-se da apresentação do exercício final do projeto de intervenção artística “Valentinas”, que juntou, ao longo deste ano letivo, o Sala T (um dos grupos de teatro da APCC) e a Turma D da EB1 de São Bartolomeu.

Utentes, formandos, colaboradores e voluntários da Associação juntaram-se, em duas sessões, para conhecer uma boneca de pano chamada Valentina que, como qualquer um de nós, tem as suas particularidades. Durante um pouco mais de 30 minutos, a história – criada pelos membros do Sala T e pelos alunos de São Bartolomeu – sobre aquela boneca transformou-se na(s) história(s) dos seus protagonistas, que mereceram cada um dos muitos aplausos que receberam no final.

Ler mais