fbpx

Primeiro foi a estreia online, mas agora o álbum de histórias do espetáculo “mim” está a ser aberto para os utentes da APCC

Foi em dezembro do ano passado que “Mim”, um álbum de histórias em forma de espetáculo, se deu a conhecer. Apesar de isso ter acontecido em formato online, dadas as contingências do tempo que então se vivia, esta criação do coletivo Sala T (um dos dois grupos de teatro da APCC) foi desde o início pensada para ser apresentada ao público. E foi isso que, ontem, pôde finalmente acontecer pela primeira vez, com o elenco e a professora de teatro Mariana Nunes a convidarem para a Sala do Teatro da Quinta da Conraria um grupo de utentes da Associação.

Ao vivo e tão perto dos protagonistas quanto possível, viram serem abertas as portas dos armários daquele espaço e revelados todos os objetos e histórias – pessoais e sobre a instituição – que neles se guardam. São histórias de pessoas que todos ali conhecem e até alguns dos episódios dramatizados seriam reconhecíveis, mas as formas de contar trouxeram novas cores (e sons!) que a plateia absorveu com toda a atenção.

Neste que foi um momento de inescapável felicidade, por ter sido finalmente possível apresentar, para lá do mundo virtual, esta criação do Sala T, o Fernando, o Vasco, a Diana, o Ricardo, a Alexandra, o Tiago, a Micaela, a Cristina, a Mariana, a Joana e o Francisco foram os atores em cena. Seguir-se-ão, para já e até meados de outubro, mais 12 sessões dirigidas a utentes do Centro de Atividades e Capacitação para a Inclusão (CACI) e do Centro de Atendimento, Acompanhamento e Reabilitação Social para Pessoas com Deficiência (CAARPD).

A encenação de “Mim” que agora é apresentada foi trabalhada para incluir apontamentos de outras histórias e novas formas de contar as originais, de forma a permitir a inclusão de utentes que não puderam participar no espetáculo online. Mas, para quem quiser ver a versão original, ela continua disponível em https://bit.ly/Mim_MuseudeNos.

Este espetáculo integrou o projeto “Museu de Nós”, que assumiu a visão da Quinta da Conraria enquanto casa que guarda as histórias da APCC, dos seus utentes, familiares e colaboradores. Desenvolvido no âmbito das atividades dos grupos de teatro da Associação (Sala T e Projeto Estúdio), foi um projeto cofinanciado pelo INR – Instituto Nacional para a Reabilitação.

O teatro – desenvolvido tanto através de dinâmicas no campo da expressão dramática, como de apresentações ao público, dentro e fora das instalações da APCC – é uma das áreas artísticas que constituem uma parte importante da ação da instituição enquanto promotora da inclusão social, com os utentes a participarem diariamente também em atividades de expressão plástica e de expressão musical. Pode saber mais em www.apc-coimbra.org.pt/?page_id=247.