Manhã de fados na Quinta da Conraria foi um momento inesquecível

As festas musicais temáticas da sala 1 da Unidade de Reabilitação de Deficientes Profundos (URDP) já são uma espécie de tradição na Quinta da Conraria. Todas as quartas-feiras, já se sabe que vai ser possível dançar e animar ao som de quizomba, música popular portuguesa ou outro género musical. Mas ontem (11 de abril), não foi exatamente assim que as coisas se passaram…

Porque, desta vez, fez-se silêncio para ouvir o fado! O professor de música da APCC – e cantor – Tiago Silva foi, como é habitual, o dinamizador da iniciativa, mas também assumiu a função de vocalista de serviço, sendo acompanhado por Carlos Antunes (guitarra portuguesa) e Francisco Carriço (viola), que generosamente aceitaram o convite que lhes foi dirigido e abrilhantaram uma manhã inesquecível para os utentes da URDP.

Quem também mostrou a sua alma fadista foi a Rita Joana – que até já ganhou um Festival Europeu da Canção para Pessoas com Deficiência Mental – que não enjeitou a oportunidade de interpretar ela própria a “Balada da Despedida”. E, como confidenciou, parecia mesmo que estava numa casa de fados, um sentimento que demonstra bem como foi um sucesso esta manhã especial.

A música é uma das atividades centrais da ação da APCC, com intervenção nos campos da musicoterapia, educação musical adaptada e expressão musical adaptada. É ainda nesse âmbito que existem na Associação vários grupos musicais, que percorrem estilos que vão da música experimental ao pop/rock ou à música tradicional portuguesa. Pode saber mais na página do Departamento de Música, em www.apc-coimbra.org.pt/?page_id=163.