fbpx

CACI

Uma paelha feita de alegria, um enorme sucesso gastronómico (mas não só) na Quinta da Conraria

O que é preciso para fazer uma boa paelha? O arroz é obrigatório, pois claro, o azeite e as especiarias também são indispensáveis para ficar bem saborosa, os vegetais nunca são demais, e depois, de acordo com o gosto de cada um, é acrescentar frango, porco, lulas, camarões… Teve tudo isto (e muito mais) a paelha confecionada ontem pelos utentes da Sala do Redondo, mas o segredo do sabor conseguido – e como ficou deliciosa! – não foi outro senão a alegria!

O dia começou cedo, porque apesar de o ambiente na APCC ser muito mais saudável do que o de um Hell’s Kitchen, todos os nossos ‘chefs’ são verdadeiros Ljubomires no que diz respeito a levar bem a sério o trabalho que se faz na cozinha. Foi preciso cortar e lavar os legumes e preparar as variadas carnes, antes sequer de acender o lume, e depois… bem, para saber como decorreu a preparação da paelha, só têm de seguir a receita que vamos deixar no fim deste texto, mas o que precisam de saber além disso é que foi uma experiência que todos adoraram!

E a satisfa...

Ler mais

Se não podemos ir à discoteca, trazemos a discoteca até nós, ou a história de uma festa de verão diferente da Quinta da Conraria

Nos tempos que vivemos, como fazer para que os utentes da Sala do Redondo possam ir à discoteca?… A única solução é, provavelmente, levar a discoteca até à Sala do Redondo! E então, organiza-se uma matiné: escolhe-se música adequada, preparam-se as bebidas (saudáveis, claro), ligam-se as luzes coloridas e baixam-se os estores para dar ambiente… E então, na passada sexta-feira, abriu-se a pista de dança na Quinta da Conraria!

Foi sobretudo um momento muito divertido, com quase tudo o que uma ida à discoteca costuma ter, como ‘dançarinos’ com movimentos frenéticos, ‘clientes’ mais tranquilos mas sempre com um copo na mão e muita ‘gente gira’ apostada em simplesmente tirar partido da animação desta happy hour. E com o único consumo mínimo estipulado a ser o da alegria, os poucos exageros que se viram foram mesmo umas quantas gargalhadas incontroláveis.

Um dia dife...

Ler mais

“Natureza com sentido”: utentes da APCC vão ter duas semanas para (re)descobrir a Quinta Pedagógica

Já foi muitas vezes a sombra desejada em dias de intenso calor e outras tantas causou deslumbre a quem se deteve a olhá-la, com as suas folhas recortadas e flores vistosas. Mas quantos sabem o nome daquela árvore da Quinta da Conraria, uma das muitas que preenchem o espaço da Quinta Pedagógica? Foi com esta observação em torno da atenção que nem sempre damos à natureza que nos rodeia que arrancou ontem o programa “Natureza com sentido”.

Nas próximas duas semanas, os utentes do Centro de Atividades e Capacitação para a Inclusão (CACI) e do Centro de Atendimento, Acompanhamento e Reabilitação Social para Pessoas com Deficiência (CAARPD) da APCC vão desenvolver diversas atividades que pretendem proporcionar momentos de reflexão sobre a temática ambiental, juntando lazer e pedagogia sobre a preservação da natureza. A dinamização será feita pela equipa da Quinta Pedagógica “O Caracol”, conduzindo os utentes num percurso que, a avaliar pelo primeiro dia, será feito de descoberta e deslumbramento.

Ler mais

No Dia da Criança, vamos #espantaroespantalho com a Quinta Pedagógica da APCC!

Está a chegar o Dia da Mundial da Criança (é já a 1 de junho!) e a Quinta Pedagógica “O Caracol” tem um desafio para os mais novos: espantar o espantalho! Ou antes, #espantaroespantalho, porque a iniciativa vai decorrer na página de Facebook da APCC e é esta hashtag que vão poder usar para, depois de criarem connosco os vossos espantalhos, os partilharem com toda a gente!

Mas vamos passo a passo: para começar, devem desde já guardar ou escolher alguns materiais reutilizados (garrafões, garrafas e sacos de plástico, fitas, pedaços de tecido, lãs, etc.) e também pequenos paus, cordel, cola e fita-cola; depois, no Dia da Criança, vão poder assistir a dois pequenos vídeos – protagonizados pelos utentes do Centro de Atividades e Capacitação para a Inclusão (CACI) da APCC – onde ensinaremos tudo o que é preciso para fazer um espantalho, mas também um ‘espantalhinho’; finalmente, só resta mesmo criarem o(s) vosso(s), seja no jardim de infância, na escola, ou em casa!

Ler mais